Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



5 de Outubro e as relações binárias

por Antero Neves, em 05.10.12

Quando Nicolau Copérnico apresentou a sua Teoria Heliocêntrica a maior parte das pessoas achou-a um absurdo e não foi de um momento para o outro que passou a ser aceite - aposto que algumas pessoas mais velhas ainda têm dificuldade em aceitar que a Terra se mova e o Sol não - mas é preciso entender que, qualquer teoria/ideia só desaparece quando a última pessoa que acredita nela morre e há sempre uma espécie de guerrilha ideológica que luta por manter viva a sua forma de pensar, por mais minoritária que seja e atenção que eu digo minoritária e não absurda, é por isso que "you cannot kill an idea" (V for Vendetta).

Já o disse em post anterior, o 5 de Outubro, para mim, não é/era mais que um feriado e eu nunca fui de festejar feriados de forma sentida - à excepção do 25 de... Dezembro. Por isso posso-me dar ao luxo de avaliar a importância dos feriados de uma forma lógica, sem preferências ou preconceitos. Raciocinemos então:

  • para haver Terceira República é preciso que tenha existido uma Segunda e uma Primeira;
  • para haver uma República é necessário que sejamos um país independente (humm... pois... independente no sentido de... independente... não no sentido financeiro porque nós temos a Troika, nem no sentido político porque nós temos Bruxelas, mas... quer dizer... cough cough, esqueçam, I digress.);


Então, seria lógico que o feriado que celebra a Restauração da Independência fosse mais importante que aquele que celebra a Implantação da República e este mais importante que o que comemora a Terceira República. Seria, mas pelos visto não é. Mantém-se o feriado 25 de Abril e retiram-se os outros dois que, no fundo, lhe servem de base. Só encontro duas justificações para isso, a primeira é que as pessoas que fizeram o 25 de Abril ainda estão vivas e não as quiseram matar de um ataque cardíaco, as outras já morreram e não sobrou ninguém para lutar pelos seus respectivos feriados; a segunda é que a relação que se estabelece entre feriados é não transitiva e está definida de outra forma em tudo parecida com o jogo Pedra-Tesoura-Papel em que pedra ganha à tesoura, a tesoura ganha ao papel mas o papel ganha à pedra.

Seja como for, imagino D. João IV e Manuel de Arriaga às voltas no caixão enquanto Mário Soares lhes atira umas caretas...

Post-Scriptum Também Mário Soares decidiu gozar o último 5 de Outubro em paz e sossego, fazendo o que bem lhe apetece. Good for you Mr. Mário! Good for you! Ele diz que foi protesto? Eu acho que foi preguiça! ;)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00





Pesquisa

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031






Contador