Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A Salvação e a Crença

por Faust Von Goethe, em 05.10.12

 

Os portugueses foram durante anos pecadores e esbanjadores compulvisos. Como viveram acima das suas possibilidades, terão agora de pagar e de se sacrificar para obter a salvação das suas almas penadas. Segundo as novas medidas do governo, o preço a pagar passa [essencialmente] por aumentos brutais do IRS e IMI. O sacrifício passa por um menor poder de compra e, em alguns casos, o ter que devolver a casa ao banco, passando assim a viver como verdadeiros mendigos.

Segundo os partidos da oposição, em especial os que não assinaram o Memorando de Entendimento (MoU), a salvação [de Portugal] deveria ser gratuita, ou por outras palavras, "nada teremos que dar ou fazer para sermos salvos". Será?

Ora vejamos: A bíblia ensinou-nos que a salvação deveria ser gratuita “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamene, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”  (Romanos 3:23, 24). Porém, “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23).

Na bíblia, Deus interveio e assumiu a culpa do homem (cf. Isaías 53:6). E Jesus Cristo-encarnação da a alma de Deus-ao assumir os pecados do homem e provou o castigo, morrendo na cruz.

Tanto na bíblia como na realidade, pediram-nos que nos entregássemos a ele(s) e o(s) aceitássemos como nosso(s) salvador(es), com a diferença que na bíblia um só homem foi sacrificado-Jesus Cristo na cruz-ao par que na realidade Passos Coelho, Vítor Gaspar [e restantes membros do governo] recusaram-se até à data, sacrificar-se a "eles", i.e. o estado e as suas gordurinhas pecaminosas.

O governo de Passos é portanto um governo de crentes, mas não em Deus. É crente em si e sobre si. O problema é que [já quase] ninguém crê neste governo e muito menos nestas medidas.

 

Leitura Complementar: Quando só resta o caminho da fé

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:40


2 comentários

De Balhau a 05.10.2012 às 12:48

Gostei do paralelismo entre fé e política. Há, neste tópico, muito a falar concerteza.

De Faust Von Goethe a 05.10.2012 às 13:49

Se há! Dava um best-seller à semelhança dos romances de Dan Brown e o código Da Vinci . Mais visões caleidoscópicas sobre o tema aparecerão, assim que os actores justificarem.

Comentar post





Pesquisa

Pesquisar no Blog  






Contador